Direção do Sindicato reúne-se com trabalhadores da Fundesp

Na manhã da quarta-feira 27, o presidente do Sintracom – Itapevi Ângelo Angelini, esteve reunido com os trabalhadores da FUNDESP, em Jandira.

O presidente foi conversar com os trabalhadores sobre as investidas que os pelegos ligados ao Sindpresp fazem para confundir a luta na empresa. Angelini disse que o pelego que dirige o Sindpresp parece o Cometa Halley. Só aparece de vez em quando. O Halley pelo menos a gente o espera a cada 75 anos. Já a pelegada, ninguém tem ideia.

 

Durante a semana, os pelegos divulgaram material gráfico tentando se comparar as conquistas do Boca Dura. Quebraram a cara ao mostrar total desconhecimento da situação da empresa e principalmente da luta dos trabalhadores para preservar salário e emprego principalmente no período em que a empresa atrasava o pagamento, os depósitos do FGTS e até as rescisões.

 

Veja as comparações feitas pelos pelegos:

 

Eles, de 2013 para cá, nos salários dos produtos de cimento, tiveram reajuste de 37,28 % aplicados de acordo com uma tabela. Nós, independente de cargos, conquistamos 38,74% de reajuste para todos os salários conforme convenção assinada com o Sinduscon.

Outra conquista que eles comparam é o seguro de vida. Nossa categoria tem o benefício garantido em Convenção Coletiva com o Sinduscon.  A pelegada só o que a legislação garante.

O auxílio creche, benefício garantido por lei, só e vale para empresas com mais de 30 funcionários. Como lei é lei e não precisa de convenção, a não ser que seja para melhorar o benefício. Não é o caso deles.

Benefícios como café da manhã e lanche da tarde, a pelegada não garante pra ninguém. Na nossa categoria isso é obrigatório e pode dar até greve onde há desrespeito à cláusula convencionada.

Esse  acordo que eles divulgam, nós também temos assinado com o Simprocim, mas ele só vale para empresas que fabricam produtos de cimento. Não tem nada a ver com a FUNDESP. Angelini disse aos que quem tiver dúvidas, pode comparar os acordos, eles estão no site do Sindicato, www.bocadura.org.br.